hipertensão arterial sistêmica fisiopatologia

Hipertensão arterial sistêmica fisiopatologia

O progresso de pressão alta depende da comunicação entre predisposição genética e elementos ambientais. Sabe-se, não obstante, que a pressão alta é acompanhada por modificações funcionais do sistema nervoso autocéfalo encantador, renais, do sistema renina angiotensina, além de mais mecanismos humorais e problema endotelial. Dessa maneira, a pressão alta consequência de diversas modificações estruturais do sistema cardiovascular que tanto amplificam o provocação hipertensivo, quanto geram devastação cardiovascular.

Sistema nervoso autocéfalo ( encantador )O sistema encantador possui uma grande valia na engendro da hipertensão e contribui para a pressão alta relacionada com o estado hiperdinâmico. Diversos autores relataram concentrações aumentadas de noradrenalina no plasma em pacientes portadores de pressão alta primordial, especialmente em pacientes mais jovens.

Pesquisas mais recentes sobre exercício simpática providência de modo direto sobre nervos simpáticos de músculos superficiais de pacientes hipertensos confirmam estes achados. Transposição cardiovascularA ônus do sistema cardiovascular causada pelo crescimento da pressão arterial e pela ativação de elementos de desenvolvimento leva a modificações estruturais de transposição, com estreitamento do lúmen arteriolar e crescimento da correlação entre a encorpadura da média e da taipa arterial. Isto amplifica a resistência ao movimento e amplifica a resposta aos estímulos vasoconstrictores.

Adaptações estruturais cardíacas consistem na ganho de massa muscular da taipa ventricular sestra em resposta ao crescimento na pós-carga ( ganho de massa muscular concêntrica), e no crescimento do diâmetro da oco ventricular com crescimento coincidente na encorpadura da taipa ventricular ( ganho de massa muscular excêntrica), em resposta ao crescimento da pré-carga.

Mecanismos RenaisMecanismos renais estão envoltos na patogênese da pressão alta, tanto a partir de uma natriurese alterada, levando à acúmulo de sódio e água, quanto pela liberação alterada de elementos que aumentam a PA( Pressão arterial ) como a renina. Sistema Renina-angiotensinaO sistema renina-angiotensina está dissimulado no controle fisiológico da pressão arterial e no controle do sódio. Possui essenciais implicações no progresso da pressão alta renal e precisa estar dissimulado na patogênese da hipertensão primordial.

O papel do sistema renina-angiotensina-aldosterona a nível cardíaco, vascular e renal é mediado pela fabricação ou ativação de vários elementos de desenvolvimento e substâncias vaso-ativas, induzindo vasoconstricção e ganho de massa muscular telefone celular. Problema EndotelialEstudos demonstram o empenhamento do endotélio na substituição da angiotensina I em angiotensina II, na inativação de cininas e na fabricação do coeficiente relaxante apartado do endotélio ou barita azótico. Além disso, o endotélio está dissimulado no controle hormonal e neurogênico local do tono vascular e dos processos homeostáticos.

Similarmente é responsável pela liberação de agentes vasoconstrictores, inclusive a endotelina, que está envolvida em algumas das problemas vasculares da pressão alta.Na figura de pressão alta ou aterosclerose, a ofício endotelial está alterada e as respostas pressóricas aos estímulos locais e endógenos passam a se reintegrar dominantes.

Também é bastante cedo para distinguir se a pressão alta de uma maneira maior parte está associada à problema endotelial. Similarmente também não está evidente se a problema endotelial seria secundária à hipertensão ou se seria uma expressão primária de uma predisposição genética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *